Itajaí Pro abre a segunda etapa do Circuito Catarinense Profissional na Praia Brava

By fecasurf | 22 de julho de 2022 | Destaque, ITAJAÍ PRO 2022, Notícias
Header
Sexta-feira, 22 de Julho de 2022

As condições do mar não estavam boas nos Molhes da Atalaia na sexta-feira para iniciar o evento no palco principal e as baterias aconteceram na estrutura alternativa.

Caetano Vargas | Itajaí Pro | Foto: Fecasurf / Marcio David

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR MAIS FOTOS DA SEXTA-FEIRA

Itajaí Pro abriu a segunda etapa do Circuito Estadual Profissional da Federação Catarinense de Surf na Praia Brava, onde as ondas na sexta-feira estavam melhores do que as do palco principal, instalado nos Molhes da Atalaia. A expectativa de todos era surfar as místicas esquerdas de um dos picos mais emblemáticos do Brasil. Mas, os que competiram no primeiro dia, ficaram felizes também pelas boas ondas que rolaram no belíssimo Canto do Morcego da Praia Brava. As eliminatórias prosseguem a partir das 8h00 deste sábado, ao vivo de Itajaí pelo www.fecasurf.com.br.

E o segundo dia vai começar em alto nível, com dois surfistas que já fizeram parte da divisão de elite da World Surf League, se apresentando nas primeiras baterias. O catarinense Willian Cardoso vai estrear na primeira e o paranaense Peterson Crisanto entra na segunda. E na terceira, tem um campeão mundial Pro Junior da WSL, Lucas Silveira, competindo junto com Matheus Navarro, vencedor da última etapa do Circuito Catarinense Profissional realizada em Itajaí 11 anos atrás, nas mesmas ondas da Praia Brava em 2011.

Estas três baterias vão abrir a segunda metade da rodada de estreia dos 32 cabeças de chave do Itajaí Pro. Na sexta-feira, foi disputada a primeira fase e os oito primeiros confrontos desta segunda fase, quando entram os mais bem colocados no ranking da FECASURF. Um catarinense da vizinha cidade de Balneário Camboriú, que sempre surfa as ondas da Praia Brava, foi quem venceu a primeira bateria da segunda etapa do Circuito Catarinense 2022.

“Foi uma boa escolha da organização, porque a Praia Brava sempre tem uma condição. Hoje tá terral, tem uma formação muito boa, então não dá pra reclamar das ondas”, disse Guilherme Ramalho. “Tem um pessoal aí de alto nível, alguns dos melhores do Brasil estão aqui, então fico muito contente de estar competindo na praia que a gente surfa todo dia. O pessoal da ASPI (Associação de Surf das Praias de Itajaí) está de parabéns por trazer esse evento para cá, um evento grande, de alto nível, com premiação muito boa e fico feliz de ter conseguido pegar boas ondas para vencer a bateria”.

Guilherme Ramalho também venceu a sua bateria pela segunda fase do Itajaí Pro, com Niccolas Padaratz, passando junto com ele. Eles eliminaram os dois cabeças de chave que estrearam nesta segunda bateria, Ricardo Tavares e Wallace Vasco. Niccolas é filho do ex-top da elite mundial, Neco Padaratz, que também competiu na sexta-feira, mas só achou uma onda boa para surfar e foi barrado pelos jovens André Gonçalves e Ronaldo Alves.

RECORDISTA DO DIA – Outra atração na rodada inicial do Itajaí Pro foi a participação do maior nome do surfe argentino, Leandro Usuna. O surfista olímpico, campeão mundial da ISA e que tem um título sul-americano da World Surf League no currículo, fez a melhor apresentação da sexta-feira em Itajaí. Lele Usuna foi o recordista absoluto nas ondas da Praia Brava, com os 12,17 pontos que somou com a nota 7,00 da melhor onda surfada no primeiro dia.

“Eu estava em casa na Argentina e lá está muito frio, está sendo um inverno muito gelado, então vim para cá para o Brasil com minha família de carro, para surfar e treinar para o Pan-americano que vem por aí, o QS de Arica (Chile) também. Não há lugar melhor do que o Brasil para manter um bom nível de surfe, competindo com tantos surfistas bons”, destacou Leandro Usuna. “Eu não conhecia a Praia Brava e me encantou muito o lugar, é muito bonito e o Brasil é um país maravilhoso. As praias sempre surpreendem, conheci Bombinhas também e muitos surfistas de cada local, todos com bom nível. A primeira bateria é sempre um pouco difícil, o corpo frio ainda, um pouco travado e começar bem é sempre muito bom”.

CABEÇAS DE CHAVE – Quem também começou bem no Itajaí Pro foi o paraibano José Francisco, que há muitos anos mora em Florianópolis. O Fininho, como é mais conhecido, abriu a rodada de estreia dos cabeças de chave com vitória sobre os catarinenses Kayki Araujo e Guilherme da Luz, além do gaúcho Gustavo Bertotto, que ficou em último lugar. Fininho ocupa a terceira posição no ranking e é forte candidato a assumir a primeira posição em Itajaí, já que o líder, Mateus Herdy, não se inscreveu nesta segunda etapa do Circuito Catarinense.

“Estou em terceiro no ranking, mas prefiro não pensar muito no final e focar mais no presente, bateria por bateria”, disse José Francisco. “A gente sabe que não é fácil, o nível é muito alto e estou feliz em estar competindo pela primeira vez aqui na Praia Brava. Sempre ouvi falar que é um lugar que dá boas ondas e vários tubos também. Mas, eu queria muito competir lá nos Molhes e vamos ver o que vai rolar na previsão para os próximos dias”.

BICAMPEÕES – O título catarinense profissional é disputado desde 1980 e dois bicampeões também estrearam nas baterias da segunda fase do Itajaí Pro, que fecharam a sexta-feira na Praia Brava. O experiente Marco Polo, que já fez parte da elite mundial da WSL e ganhou os títulos de 2008 e 2009, não achou boas ondas e ficou em último na sua. Já o bicampeão de 2016 e 2017, Caetano Vargas, pegou até um tubo e venceu a dele, com o campeão catarinense de 2014, Marco Giorgi, uruguaio que mora em Garopaba, avançando junto com ele.

“Eu procurei me manter bem ativo na bateria, tentando surfar o máximo de ondas possível, porque qualquer uma poderia fazer a diferença nessa condição de hoje”, disse Caetano Vargas. “Eu acho que amanhã a gente deve continuar competindo aqui na Praia Brava, mas domingo tem a previsão do mar dar uma subida e acredito que a gente possa ir para os Molhes, surfar aquelas esquerdas lá”.

Caetano Vargas também comentou sobre o prêmio extra oferecido pela FECASURF, para o campeão catarinense deste ano, uma moto Yamaha da Motostore: “É muito importante e um estímulo bem legal ter um prêmio para o campeão catarinense, porque isso motiva mais os competidores a participarem do circuito. Eu estou muito feliz de estar disputando mais um título catarinense e por estar aqui na Praia Brava, que é um lugar com altas ondas, bons tubos e espero seguir avançando”.

HISTÓRIA – A cidade de Itajaí foi fundada em 1833, fica a 94 km ao norte de Florianópolis e é conhecida como a Capital Nacional da Pesca. A cidade possui o segundo maior porto do país, com sua entrada passando pelos Molhes da Atalaia, palco principal da segunda etapa do Circuito Catarinense Profissional nesse fim de semana. Itajaí foi reconhecida também como a Capital da Construção Naval e do Turismo Náutico, pelo sucesso da passagem da Volvo Ocean Race em 2018. Além disso, a cidade foi a primeira da América Latina a aderir a “Campanha Mares Limpos” do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

A Associação de Surf das Praias de Itajaí (ASPI) está fechando o “Festival Molhes In Vibe Fico” realizado desde o início do mês nos Molhes da Atalaia, com o Itajaí Pro válido como segunda etapa do Circuito Profissional da Federação Catarinense de Surf (FECASURF), com patrocínio da Prefeitura de Itajaí, Fico, Motostore Yamaha, copatrocínio do Porto de Itajaí, Bravíssima Private Residence, GoFly Channel, Surfland, Banana Wax e Santa Costa, homologação da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) e transmissão ao vivo pelo www.fecasurf.com.br.

Neco Padaratz | Itajaí Pro | Foto: Fecasurf / Marcio David

 

José Francisco | Itajaí Pro | Foto: Fecasurf / Marcio David

 

Nicolas Padaratz | Itajaí Pro | Foto: Fecasurf / Marcio David

 

Guilherme Ramalho | Itajaí Pro | Foto: Fecasurf / Marcio David

 


Assessoria de Imprensa do Itajaí Pro 2022

João Carvalho – JBC Notícias e Assessoria

(48) 999-882-986 – jbcsurfnews@hotmail.com

———————————————————–

PRÓXIMAS BATERIAS DO ITAJAÍ PRO:

SEGUNDA FASE – entrada dos 32 cabeças de chave:

—-3.o=33.o lugar com 640 pontos e 4.o=49.o lugar com 480 pts

09: Willian Cardoso, Jonathan Busetti, Kainan Meira, Agustin Zanotta

10: Ronaldo da Silveira, Gustavo Machado, Derek de Souza, Peterson Crisanto

11: Swell Henrique, Matheus Navarro, Lucas Silveira, Mateus Ribeiro

12: Luan Wood, Ramiro Rubim, Uriel Sposaro, Lucas Catapam

13: Samuel Serconek, André Luiz, Jefferson Silva, Teo Rodriguez

14: Alvaro Bacana, Diego Rosa, Arian Guimarães, Leandro Usuna

15: Fellipe Ximenes, Adriano Lemos, Guilherme Marques, Daniel Pedreira

16: Walley Guimarães, Derek Adriano, Pedro Nogueira, José Gundesen

———baterias que fecharam a sexta-feira:

01: 1-José Francisco, 2-Kayki Araujo, 3-Guilherme da Luz, 4-Gustavo Bertotto

02: 1-Guilherme Ramalho, 2-Niccolas Padaratz, 3-Wallace Vasco, 4-Ricardo Tavares

03: 1-Hedieferson Junior, 2-Luã da Silveira, 3-Gustavo Borges, 4-Ezequiel Rocha

04: 1-Caetano Vargas, 2-Marco Giorgi, 3-Murilo Brandt, 4-Micael Dimitry

05: 1-Patrick Plachi, 2-João Carlos Ely, 3-Thiago Muller, 4-Wendel Medeiros

06: 1-Leonardo Barcelos, 2-Moa Soares, 3-Tomás Goransjy, 4-Jonas Tatuíra

07: 1-Kaique de Oliveira, 2-Yuri Gonçalves, 3-José Muniz, 4-André Gonçalves

08: 1-Ronaldo Alves, 2-Yage Araujo, 3-Marcio Farney, 4-Marco Polo

PRIMEIRA FASE FEMININA – 1.a e 2.a=Semifinais:

—-3.a=5.o lugar com 610 pts e 4.a=7.o lugar com 555 pts

01: Tainá Hinckel, Susã Leal, Larissa Adriano, Valentina Zanoni

02: Juliana Quint, Yasmin Dias, Coco Cianciarulo, Rafael Dmitruk