Taina Hinckel e Santiago Muniz festejam primeiras vitórias no Circuito Banco do Brasil de Surfe em Garopaba

By fecasurf | 25 de abril de 2022 | Destaque, Notícias
  • A final feminina foi entre duas catarinenses da nova geração
  • Taina tem 18 anos e derrotou Isabelle Nalu de apenas 15 anos
  • Argentino ganha a outra decisão do domingo com Messias Felix
  • Segunda etapa do Circuito Banco do Brasil em maio em Salvador
Santiago Muniz, Taina Hinckel, Isabelle Nalu e Messias Felix (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR OS VIDEOS HIGHLIGHTS

PRAIA DA FERRUGEM, Garopaba / SC (Domingo, 24 de abril) – catarinense Taina Hinckel e o argentino Santiago Muniz, festejaram os primeiros títulos do Circuito Banco do Brasil de Surfe em Garopaba. No domingo de praia cheia e boas ondas na Praia da Ferrugem, derrotaram três concorrentes para conquistar suas primeiras vitórias em etapas do World Surf League (WSL) Qualifying Series. A decisão feminina foi entre duas catarinenses da nova geração, Tainá de 18 anos e Isabelle Nalu de apenas 15 anos de idade, ambas na primeira final das suas carreiras. Já a masculina foi entre surfistas experientes, com Santiago, 29 anos, vencendo o bicampeão brasileiro Messias Felix, 36 anos.

Circuito Banco do Brasil de Surfe foi inaugurado na “Capital Catarinense do Surf” e terá mais duas etapas em outras regiões do país. Todas são realizadas com o princípio da igualdade na premiação para homens e mulheres. A próxima é no Nordeste, de 12 a 15 de maio na Praia de Stella Maris, em Salvador, capital da Bahia. E a última, é de 25 a 28 de agosto na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, onde será encerrado o ranking especial das três etapas.

Quem ficar em primeiro lugar na categoria masculina e na feminina, ganha convite para participar da única etapa do Challenger Series na América Latina esse ano, o Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil em novembro na “Capital Nacional do Surf”. Caso for alguém que já compete na divisão de acesso para o CT, o convite fica para o próximo colocado no ranking das 3 etapas. Como é o caso de Santiago Muniz, no momento, que já está no Challenger Series e a vaga iria para Messias Felix. Na categoria feminina, Taina Hinckel começa na frente, com Isabelle Nalu em segundo lugar.

Taina Hinckel carregada após vencer a primeira decisão de título no domingo (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
“Estou muito feliz por vencer meu primeiro QS. Já tive alguns bons resultados, mas nunca tinha tido uma vitória e estou amarradona”, disse Taina Hinckel“Este lugar é especial para mim, já venci outros eventos aqui e estou muito feliz por conseguir soltar o meu surfe nesse campeonato. Consegui achar ondas boas nas baterias e estava muito feliz dentro d´água, me divertindo, fazendo o que eu gosto. Quero agradecer minha família, que nunca deixou de acreditar em mim e vamos com tudo, porque tem muita coisa por vir ainda”.

Na primeira decisão de etapas do QS das suas carreiras, Isabelle Nalu pega uma onda melhor para começar na frente com nota 3,83. Taina Hinckel logo mostra a força do seu backside também em outra esquerda boa, a onda depois vira pra direita e ela seguiu atacando até explodir a junção. Os juízes deram nota 7,33. Apesar de boas ondas, o grande intervalo entre as séries foi o maior problema no domingo, com poucas ondas entrando nas baterias.

Tainá Hinckel destruindo as esquerdas da Ferrugem (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
Nalu pegou mais uma esquerda, que arma a parede para manobrar no outside e entrar na briga do título com nota 6,83. No entanto, Taina escolhe outra esquerda boa e ataca todo espaço da onda, com fortes batidas e rasgadas de backside do início ao fim. Ela recebe 7,17 e ainda surfa muito bem outra onda, para sacramentar sua primeira vitória com nota 7,67.

“Estou muito feliz por ter feito essa minha primeira final de QS aqui nesse lugar. Foi uma final da nova geração né”, disse Isabelle Nalu“Era meu sonho e parabéns para a Tainá, que surfou muito bem. Vou seguir treinando bastante, porque meu objetivo é conseguir uma vaga para o Challenger, ficar entre as top-4 do ranking”.

Isabelle Nalu fazendo sua primeira final no QS com apenas 15 anos (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
SEMIFINAIS – A primeira campeã da história do Circuito Banco do Brasil de Surfe, iniciada em Garopaba, também assumiu a vice-liderança no ranking regional da WSL Latin America com a vitória na Praia da Ferrugem. Nas semifinais, Taina Hinckel fez os recordes do campeonato – nota 9,50 e 17,00 pontos – para acabar com a invencibilidade de Daniella Rosas esse ano. A peruana ganhou as duas etapas do QS que aconteceram nas últimas semanas. Dessa vez, ficou em terceiro lugar, mas segue na frente no ranking regional de 2022/2023.

Na outra semifinal, Isabelle Nalu ganhou um verdadeiro confronto de gerações com Silvana Lima, que já foi vice-campeã mundial duas vezes, por muitos anos fez parte da elite mundial do CT e já tem dois títulos sul-americanos da WSL Latin America no currículo. Não entraram muitas ondas na bateria e a jovem catarinense de apenas 15 anos de idade, arriscou tudo na última onda que surfou, atacando forte na finalização para derrotar a experiente surfista de 37 anos, por 12,50 a 9,03 pontos.

“A Silvana é uma inspiração total, ainda vejo muitos vídeos dela, já foi vice-campeã mundial do CT e foi irado disputar uma bateria com ela. Ainda mais virando no último minuto, foi demais, inesquecível”, disse Isabelle Nalu, após se classificar para a sua primeira final em etapas do WSL Qualifying Series.

Santiago Muniz e Taina Hinckel com os troféus das vitórias em Garopaba (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
PRIMEIRA VITÓRIA – Assim como as finalistas da primeira decisão feminina do Circuito Banco do Brasil de SurfeSantiago Muniz também buscava a sua primeira vitória no WSL Qualifying Series. Ele chegou nas semifinais pela terceira vez seguida, em todas as etapas que participou nas últimas semanas. Em Garopaba, foi a primeira vez que avançou para a final, passando por outro experiente surfista do Ceará que mora em Santa Catarina, Heitor Alves, 40 anos.

Na decisão do título, Santiago já largou na frente, surfando muito bem sua primeira onda, que valeu nota 7,50. Messias Felix demora mais e escolhe uma esquerda, inicia com um rasgadão jogando água, faz mais um, outro cutback e finaliza no inside com mais três batidas até a junção. Os juízes dão 6,83 e a disputa pelo título fica aberta. Só que, depois não entraram mais ondas boas para mudar o resultado e Santiago Muniz ganhou o primeiro troféu de campeão do Circuito Banco do Brasil de Surfe em Garopaba, por 13,17 a 10,90 pontos.

“Primeiramente, quero agradecer a Deus pela oportunidade, de mandar duas ondas ali pra mim e de eu poder aproveitá-las ao máximo que desse”, disse Santiago Muniz“Estou bem feliz de conseguir esse resultado aqui, porque a Ferrugem é um lugar que a gente vem desde pequenininho, dos tempos de circuito catarinense amador, então fico amarradão. Hoje foi um dia muito bom, mas amanhã já continuamos na batalha”.

Santiago Muniz voando nas ondas da Praia da Ferrugem (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
Foi a primeira vitória do argentino em etapas do QS e agora lidera os rankings do Banco do Brasil e da WSL Latin America. Essa foi a segunda vitória seguida da família nesse início da temporada 2022/2023 da World Surf League Latin America. Seu irmão, Alejo Muniz, ganhou a primeira, sábado passado na Argentina. Com a vitória no Circuito Banco do Brasil de SurfeSantiago Muniz tirou o seu irmão da primeira posição no ranking sul-americano.

“Fico feliz que o meu irmão (Alejo Muniz) ganhou semana passada lá na Argentina. Ele surfou pra caramba e a gente quase fez a final juntos, então só tenho que agradecer a Deus mesmo por tudo que está acontecendo”, disse Santiago Muniz.

Messias Felix chegou a ser carregado pela torcida quando saiu do mar, festejando seu grande resultado também. “Tenho vários amigos aqui e é muito bom estar competindo perto de todos e por estar de volta ao topo depois de tantos anos. Foi legal a final com o Santiago (Muniz), mas eu esperei muito para pegar as ondas da série. Eu deveria ter construído notas mais no inside, então foi isso, mas foi show também porque o segundo lugar é um bom resultado. Parabéns ao Santiago pela vitória e estamos aí, de volta ao pódio”.

Messias Felix decidindo título da primeira etapa do Circuito Banco do Brasil (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
NOVOS TALENTOS – Um dos propósitos do Circuito Banco do Brasil de Surfe é descobrir novos talentos do surfe brasileiro. Em Garopaba, a nova geração de Santa Catarina marcou presença nas ondas da Praia da Ferrugem. A decisão feminina foi 100% catarinense, entre Taina Hinckel de 18 anos e Isabelle Nalu de 15. E foi um catarinense também, o mais jovem entre os finalistas do masculino.

O último confronto de gerações aconteceu nas semifinais, entre Messias Felix, 36 anos, e Leo Casal, 17 anos. Leo tinha passado por outro surfista da sua idade nas quartas de final, Gabriel Klaussner. Em ambas as baterias, não entraram muitas ondas para Leo mostrar a potência das suas manobras. Messias escolheu as melhores e fez mais uma grande apresentação nas ondas da Ferrugem. Com uma nota 8,00, totalizou imbatíveis 15,03 pontos no domingo.

“Foi incrível esse campeonato para mim, porque eu cresci competindo aqui na Ferrugem, nas categorias de base, e ainda tenho o sonho de ganhar um QS aqui”, disse Leo Casal“Não consegui meu objetivo agora, mas logo volto a treinar forte para os próximos. Eu fiz as quartas de final com um garoto da nova geração também (Gabriel Klaussner, 17 anos), que foi bem disputada. Mas, não tive sorte nessa agora. Não entrou muitas ondas e o Messias achou as melhores para se classificar”.

Leo Casal representou a nova geração até as semifinais (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
Na outra semifinal, Santiago Muniz, 29 anos, passou pelo ex-top do CT e outro cearense que mora em Santa Catarina há muitos anos, Heitor Alves, 40 anos. Messias Felix reside na Praia do Rosa, em Imbituba, que fica bem perto da Praia da Ferrugem. Essa foi a terceira final dele em etapas do WSL Qualifying Series. A primeira foi em 2012 em Portugal e ele venceu o 6 estrelas das Ilhas Açores. Em 2014, decidiu o título também da tradicional etapa da Argentina em Mar del Plata e ficou em segundo lugar, como agora, neste domingo na Praia da Ferrugem.

“Investir no surf é remar junto” é o lema do Circuito Banco do Brasil de Surfe, que está sendo realizado com patrocínio do Banco do Brasil e BB Asset Management. Esta primeira etapa contou também com o apoio da Prefeitura Municipal de Garopaba, da Rede Atlântida e foi transmitida ao vivo da Praia da Ferrugem pelo WorldSurfLeague.com e pelo Aplicativo WSL. As outras duas etapas serão realizadas em Salvador (BA) nos dias 12 a 15 de maio e em Ubatuba (SP) de 25 a 28 de agosto.

Os primeiros troféus do Circuito Banco do Brasil de Surfe (Crédito: Daniel Smorigo / World Surf League)
RESULTADOS DO DOMINGO NO CIRCUITO BANCO DO BRASIL DE SURFE:

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:
Campeã: Taina Hinckel (BRA) por 15,00 pts (7,67+7,33) – US$ 2.000 e 1.000 pts
Vice-campeã: Isabelle Nalu (BRA) com 11,43 pts (6,83+4,60) – US$ 900 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pts e US$ 550 de prêmio:
1.a: Taina Hinckel (BRA) 17,00 x 11,00 Daniella Rosas (PER)
2.a: Isabelle Nalu (BRA) 12,50 x 9,03 Silvana Lima (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 500 pts e US$ 250 de prêmio:
1.a: Daniella Rosas (PER) 10,90 x 9,60 Laura Raupp (BRA)
2.a: Melanie Giunta (PER) 14,53 x 13,17 Taina Hinckel (BRA)
3.a: Silvana Lima (BRA) 15,06 x 2,93 Julia Santos (BRA)
4.a: Isabelle Nalu (BRA) 12,27 x 3,77 Juliana Meneguel (BRA)

DECISÃO DO TÍTULO MASCULINO:
Campeão: Santiago Muniz (ARG) por 13,17 pts (7,50+5,67) – US$ 2.000 e 1.000 pts
Vice-campeão: Messias Felix (BRA) com 10,90 pts (6,83+4,07) – US$ 900 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 650 pts e US$ 550 de prêmio:
1.a: Messias Felix (BRA) 15,03 x 10,83 Leo Casal (BRA)
2.a: Santiago Muniz (ARG) 13,53 x 10,50 Heitor Alves (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 500 pts e US$ 250 de prêmio:
1.a: Messias Felix (BRA) 15,00 x 13,84 Edgard Groggia (BRA)
2.a: Leo Casal (BRA) 11,94 x 10,70 Gabriel Klaussner (BRA)
3.a: Santiago Muniz (ARG) 11,67 x 9,00 Weslley Dantas (BRA)
4.a: Heitor Alves (BRA) 11,56 x 9,40 Felipe Ximenes (BRA)

TOP-5 DO RANKING DO CIRCUITO BANCO DO BRASIL:
01: Santiago Muniz (ARG) – 1.000 pontos
02: Messias Felix (BRA) – 800
03: Leo Casal (BRA) – 650
03: Heitor Alves (BRA) – 650
05: Edgard Groggia (BRA) – 500
05: Weslley Dantas (BRA) – 500
05: Gabriel Klaussner (BRA) – 500
05: Felipe Ximenes (BRA) – 500

TOP-5 DO RANKING DO CIRCUITO BANCO DO BRASIL:
01: Taina Hinckel (BRA) – 1.000 pontos
02: Isabelle Nalu (BRA) – 800
03: Daniella Rosas (PER) – 650
03: Silvana Lima (BRA) – 650
05: Laura Raupp (BRA) – 500
05: Melanie Giunta (PER) – 500
05: Julia Santos (BRA) – 500
05: Juliana Meneguel (BRA) – 500

TOP-10 DO RANKING 2022/2023 DA WSL LATIN AMERICA – 2 etapas:
01: Santiago Muniz (ARG) – 1.650 pontos
02: Leo Casal (BRA) – 1.150
03: Alejo Muniz (BRA) – 1.000
04: Alonso Correa (PER) – 800
04: Messias Felix (BRA) – 800
06: Gabriel André (BRA) – 716
07: Heitor Mueller (BRA) – 700
08: Heitor Alves (BRA) – 650
09: Lucas Vicente (BRA) – 566
10: Weslley Dantas (BRA) – 500
10: Edgard Groggia (BRA) – 500
10: Luan Carvalho (BRA) – 500
10: Gabriel Klaussner (BRA) – 500
10: Noel De La Torre (CHL) – 500
10: Felipe Ximenes (BRA) – 500

TOP-10 DO RANKING 2022/2023 DA WSL LATIN AMERICA – 2 etapas:
01: Daniella Rosas (PER) – 1.650 pontos
02: Taina Hinckel (BRA) – 1.500
03: Melanie Giunta (PER) – 1.000
04: Arena Rodriguez (PER) – 950
05: Kiany Hyakutake (BRA) – 945
06: Dominic Barona (ECU) – 850
06: Karol Ribeiro (BRA) – 850
08: Isabelle Nalu (BRA) – 800
09: Yanca Costa (BRA) – 795
10: Silvana Lima (BRA) – 650

João Carvalho
WSL Latin America Media Manager
jcarvalho@worldsurfleague.com
+55 (48) 999-882-986
Gabriel Gontijo
WSL Latin America Communications
ggontijo@worldsurfleague.com