Início » Regras para o Circuito Catarinense de Surf Amamor

Regras para o Circuito Catarinense de Surf Amamor

por fecasurf
0 comente

Circuito Catarinense de Surf, uma história de pioneirismo

Com a realização da I Copa Catarinense de Surf Lee Incosul, no ano de 1983, Santa Catarina iniciava uma revolução no surf brasileiro.

Esse circuito foi realizado junto a ACS – Associação catarinense de Surf, que iria se transformar na FECASURF em 1987.

Pela primeira vez no país se realizava um circuito anual, no formato muiti categorias, com os surfistas divididos por idades. Seus idealizadores foram Flavio Boabaid, Roberto Perdigão e Arnaldo Spyer, da Master Promoções, que decidiram realizar um circuito estadual de surf aos moldes da NSSA americana, na época, o circuito de surf amador mais bem sucedido do mundo, de onde saíram atletas com Tom Currem, Brad Gerlach, Mike Parsons, só para citar alguns nomes.

As categorias incluídas (que tinham idades diferentes das de hoje) e seus campeões foram os seguintes: Na categoria Sênior (acima de 18 anos) – David Husadel; na categoria Junior (abaixo de 18 anos) – Ivan Junkes; na categoria Mirim (abaixo de 15 anos) – Icaro Cavalheiro; na Categoria Master (acima de 25 anos) – Jordão Bailo Junior; e na categoria Feminina (sem limite de idade) – Catita.

Esse formato tem sido usado desde então, com sucesso pela maioria dos estados brasileiro até hoje, apenas com a adição de outras categorias.

Mas, esse formato tem limitações quanto ao numero de atletas que podem participar a cada prova, afetando consequentemente o número de surfistas ranqueados ao fim do ano. E essa limitação, acaba afastando muitos prováveis candidatos a futuros campeões.

Em 2016, novos formatos vão definir o futuro do Circuito Catarinense de Surf!

As mudanças programadas para esse ano são apenas o início dessa revolução. Muitas mudanças serão feitas de forma a adequar o surf de base catarinense ao novo surf mundial. As categorias de base serão gradativamente ampliadas, de forma a atingirmos a uma fatia cada vez maior de surfistas iniciando no esporte, e, dessa forma ampliar as chances da descoberta de novos campeões.

O primeiro desses novos formatos, esta sendo introduzido no Circuito Surf Talentos, patrocinado pela empresa catarinense de Surf Wear Oceano.

Ainda com o mesmo formato básico, se enquadram os Evento A, B e Final Heat. Porém com a possibilidade de inclusão de algumas categorias, que até o ano passado, só seriam possíveis se todas as provas do circuito tivessem a mesma categoria. Exemplos disso, é que nesse ano passa a ser permitido categorias que irão fazer parte dos rankings catarinenses, porém só vão acontecer em algumas etapas, onde a Associação ou Promotor, após consulta e aprovação da Fecasurf, podem incluir em seus eventos.

Categorias como, Longboard (Etapa B no Campeche) Surf Adaptado (Etapa B na Joaquina), Pro-Am (etapas do Surf Talentos), Surf de Surdos, Sub 08 anos, Sênior, Gran Master, Kahuna, Gran Kahuna, Big Wave, SUP, Duplas e mais todas essas categorias, também no Feminino, serão incentivadas, e inseridas nos Rankings Catarinenses. E seus resultados vão definir os campeões estaduais de 2016, em cada uma delas.

Categorias do Circuito Catarinense de Surf!

Para entender melhor o sistema em implantação este ano, precisamos ver como funcionava o circuito anterior. Anteriormente o circuito tinha categorias sete categorias definidas, que eram: Infantil, Iniciantes, Mirim, Junior, Open, Master e Feminino (e no ano passado, também a Kahuna).

Para os eventos A e B, continua a ser exigidas as categorias básicas, Infantil, Iniciantes, Mirim, Junior, Open, Master e Feminino, porém permitindo a cada Associação ou Promotor incluir categorias, desde que o tempo de competição oficial seja respeitado.

A partir desse ano, toda categoria que fizer parte de um Evento A, B, Final Heat, Surf talentos ou especiais homologados de Longboard, Sup, Feminino, Infanto Juvenil, Surf Universitário, Surf Estudantil, Equipes, Duplas e Surf Adaptado, desde que homologados pela Fecasurf, passam automaticamente a contar pontos para os rankings que vão definir os campeões catarinenses.

Isso aumenta substancialmente o número de atletas participando de competições de surf no estado, com pontos validos e homologados pela entidade que rege o surf catarinense.

Entenda as pontuações do Circuito Catarinense de Surf!

Os pontos dos campeonatos catarinenses serão distribuídos da seguinte forma. Eventos B – 500 pontos ao vencedor; Eventos A, Surf Talentos e Especiais (Ex. Desafio de Duplas) – 1.000 pontos ao vencedor. E Final Heat – 2.000 pontos ao vencedor. Essa pontuação será definida pela Fecasurf, que após receber o pedido de homologação, vai estudar a estrutura e premiação oferecidas, e, por fim determinar o status do evento ou circuito.

A pontuação final de cada categoria vai ser definida pela contagem de 25% dos pontos do total dos eventos nível B, 75% dos pontos dos eventos de nível A, e 100% da única etapa da finalíssima do ano, chamada de Final Heat,

Final Heat Catarinense!

O Final Heat vai ser a última etapa do ano, e pode acontecer em qualquer praia do estado. O evento terá 03 dias de duração e premiação especial. No Final Heat acontecerá também a Cerimônia de Premiação dos Campeões Catarinenses de todas as categorias do ano.

VOCÊ PODE GOSTAR

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00